Frankie e Marília | F&M | Fotógrafo de casamento SP | Fotografia de Casamentos diferentes | pequenas doses | small doses | 27 | Frankie e Marília
Fotógrafos de casamento em São Paulo disponíveis em todo Brasil e exterior | Frankie & Marília | Frankie e Marília | Destination wedding photographers from Brazil available worldwide
frankie e marília,fotografia de casamento,fotógrafo de casamento,fotógrafo de casamento são paulo,fotógrafo de casamento SP,destination wedding photography,brazil,brasil,interior de são paulo,interior de sp,casamentos diferentes,fotografia de casamento fazenda,fotógrafo de casamento fazenda,
4695
post-template-default,single,single-post,postid-4695,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

pequenas doses | small doses | 27 | Frankie e Marília

pequenas doses | small doses | 27 | Frankie e Marília | casamentos diy | casamentos alternativos | São Paulo (1)pequenas doses | small doses | 27 | Frankie e Marília | casamentos diy | casamentos alternativos | São Paulo (2)pequenas doses | small doses | 27 | Frankie e Marília | casamentos diy | casamentos alternativos | São Paulo (3)pequenas doses | small doses | 27 | Frankie e Marília | casamentos diy | casamentos alternativos | São Paulo (4)

Nessa semana andamos nos perguntado de onde em nossas cabeças veio a idéia do pequenas doses. Não porque ele seja algo ruim. Muito pelo contrário, é tão legal saber o quanto ele nos aproximou de algumas pessoas depois que começamos com esse processo, mas muito mais para não perdermos o foco que tínhamos quando começamos. Não sabemos muito bem o motivo exato para ele existir, mas ao pensá-lo sabíamos que havia (e ainda há) uma lacuna em algum lugar na nossa fotografia e pensamos que talvez o esses posts fossem nos ajudar a encontrar uma maneira de preencher esse “buraco” que sentimos em nosso trabalho de algum jeito.

Não sabemos se essa lacuna era uma falta de espaço para fotografar outras coisas, ou se era a necessidade de encontrar um modo para tentarmos evoluir na nossa fotografia. Realmente pensamos que com essas pequenas doses, viria a “obrigação” ou uma justificativa para carregar uma câmera para cima e para baixo e que isso de alguma maneira nos ajudaria a canalizar qualquer tipo de inspiração que tivéssemos fora dos finais de semana que fotografamos casamentos e nos desse um novo espaço de compartilhar um pouco desse nosso trabalho um pouco mais “autoral”. Pensamos também que além de nos permitir compartilhar coisas que vemos por aí no dia-a-dia que nos inspiram, esses posts em si nos motivariam a fotografar outras coisas. Mas descobrimos que nem sempre ser “obrigado” a fotografar é a melhor fonte de motivação.

Acreditamos plenamente que às vezes, um bom trabalho sai da obrigação ou necessidade de fazer esse trabalho. Do fato de ser jogado “no fogo” com a ferramenta para fazer algo acontecer e ter que entregar um bom resultado. Às vezes pensamos e sonhamos tanto em fazer algo, mas acabamos pensando ou sonhando tanto que acabamos não fazendo. Mas também às vezes, quando o universo está do seu lado, essa obrigatoriedade de criar algo (tanto nos casamentos quanto para o pequenas doses) acaba rendendo resultados completamente inesperados. Mas e quando a fonte seca?

Em algum lugar, algum dia, um de nós leu uma frase que dizia algo como “a pior coisa que um fotógrafo pode fazer para sua criatividade é trabalhar como fotógrafo e depender da fotografia para pagar as contas”. É bem diferente fotografar quando trabalhamos com algo bem diferente e usamos a fotografia estritamente como ferramenta de expressão, mas e quando fotografamos por 10, 20 horas nos finais de semana? E quando acordamos no domingo com as pernas dormindo e o corpo ainda desidratado e acabamos ficando na cama o dia inteiro? E ainda temos que fazer mais algumas cópias do backup do casamento do Sábado? E ainda temos reuniões sobre fotos e posts sobre fotos para fazer no blog e contratos para assinar? Nessa última semana, fotografamos dois casamentos. E ainda temos 7 casamentos para editar.

Acordamos na manhã de ontem pensando “Poxa, não temos nem o que postar no pequenas doses” já que essa foi uma semana completamente dedicada ao trabalho. Já estávamos pensando em não postar um pequenas doses nessa semana. Mas aí resolvemos que esse seria o nosso pequenas doses, e que gostaríamos de conversar um pouco dessa questão que nós fotógrafos temos (e sabemos que mais amigos e colegas de profissão sofrem do mesmo mal).

A única coisa que fizemos para relaxar nessa semana passada foi assistir um programa sobre fotografia no YouTube. Fotografia em “película” especificamente. É um programa chamado “Film” da “Framed Network” que passa no YouTube e já está na segunda temporada, e nessa temporada ele conta com a presença ilustre de uma de nossas grandes inspirações, o Jonas Peterson, assim como vários outros fotógrafos que admiramos. A rotina dessa semana incluía um episódio do programa à noite, e no dia seguinte, de manhã já sentíamos o nosso trabalho muito “longe” das pessoas que admiramos na fotografia. Sim, a vida de fotógrafos não é perfeita como muitas vezes a internet faz parecer, vira e mexe nos sentimos inseguros sobre nosso trabalho também.

Mas foi aí, sem querer, que ontem à noite, no meio do programa, com o Jonas Peterson sozinho sentado em um sofá conversando com a câmera, e nós do outro lado do mundo assistindo, que veio uma luz enorme e nos iluminou para nos tirar desse buraco que estamos essa semana. Nesse episódio, ele comentou que foi discutindo com os outros fotógrafos sobre tipos diferentes de filmes e câmeras que eles perceberam que esse era exatamente o motivo para estar lá, que esse tipo de discussão é exatamente o que eles não devem ter. Que quanto menos pensarmos em que câmeras usamos ou que programa de edição usamos e sim em por que fazemos isso, quanto mais nos perguntarmos por que fotografamos e tentarmos decifrar esse mistério, se descobrirmos por que queremos compartilhar essas coisas que vemos com vocês – isso sim vai nos fazer melhorar.

É por isso que o pequenas doses de hoje é diferente. Não é tudo perfeito. Mas ficamos felizes em trabalhar com que amamos, e na correria dessa semana conseguimos tirar algumas fotos que amamos, mas além de tudo percebemos que temos que compartilhar com você, não só o bom.

E hoje perguntamos, de onde você tira a inspiração para melhorar na fotografia ou no que você escolheu fazer com a vida?

<3 -- This week we've been asking ourselves just where the idea of our "small doses" posts came from. Not because we think they're a bad thing. We actually think quite the opposite. It's nice to know how much it has brought us closer to some people in the process and how this has helped to no steer off track when it comes to our work. We don't know exactly why we thought this was a good idea, but when we first started giving it some though, we knew there was (and there still is) a gap somewhere in our photography and we thought maybe these posts would help us find a way to fill the hole we saw in our work, in some way or another. We don't know if we thought this gap existed due to the fact that we didn't get a chance to or have much time to shoot other stuff, or if it was simply the need we felt to find a way to evolve in our work. We knew that along with these small doses posts, an "obligation" or a reason to carry our camera around would be created and that maybe this would help us channel any kind of inspiration we would find outside the weekends we spend shooting weddings, and that this would give us some room to share a little of our more personal work. We also thought that besides letting us share things we see in our day-to-day lives that inspire us, it would also motivate us to shoot other stuff. But along with all that we also found out that having to shoot something is not the best way to get motivated. We wholeheartedly believe that sometimes being "thrown into the fire" with tools to make something happen and having to deliver work sometimes actually works (despite the stress it causes). Sometimes we sit around and plan and dream of doing something so badly that we end up not doing it, or not doing it the way we thought we would, and that's frustrating. Sometimes things just work out our way and this obligation actually gives us something to be really proud of. But what happens when the inspiration well runs dry? One day, somewhere, one of us read something that said something along the lines of: "the worst thing a photographer can do for his creativity is to work as a photographer and depend on his work as a photographer to pay his bills". Having a day job and shooting for fun and to express yourself is one thing, but what happens when you shoot for 10, 20 hours in a single weekend? What about when you wake up the day after a long wedding and your legs are still numb and you're dehydrated and you end up spending the whole day in bed, unable/unwilling to get up? What about having that burden of backing up work a million times after a wedding? We also have meetings with clients, posts to write for the blog and photos to edit and we have to worry about paperwork and going to the bank? All of this to make end's meet. Last week we photographed two weddings. We have 7 weddings ligned up waiting to get post-production work done. It's hard to find room to get creative when you're spending so much time with photography. We woke up yesterday and the first thing we thought was "we don't have anything to post on our small doses for this week", since this week was completely and strictly dedicated to work. We even considered not posting at all this week. But then we decided this would be our small doses, and that we'd like to talk about this thing that that happens to us and to fellow photographers and friends who have decided to do what we love for a living. The only thing we really did to try to relax last week was watching a show about photography on Youtube (film photography, specifically). If by any chance you haven't heard of it, this show is called "Film", and it's by "Framed Networks" and its second season is available on Youtube - and on this season one of the photographers we look up to the most, Jonas Peterson, is featured as a host, as well as some other photographers we really look up to. We watched the show in the evening before going to bed this week, and the next day we would feel crappy about our own work compared to these people we look up to. Yes, the life of a photographer is not as perfect as it may seem to be on the internet sometimes, and every now and then we feel insecure about our work. But then last night, in the middle of the episode we were watching, when Jonas Peterson was sitting alone on a couch talking to the camera, and we were sitting on a couch across the globe watching the show at home, something just clicked and made us snap out of this rut we've been stuck in all week. On this episode he said that it was by discussing with the other photographers about all the different types of film and cameras that the photographers on the show realized that that was the exact reason why each one of them was there, that this kind of discussion is the exact opposite of what they should be doing. The less we think about the cameras or the editing software we use and the more we think about why we photograph and try to solve this issue in our heads, and the more we realize the reason why we want to share these things with you - that is what will make us evolve as photographers. And this is why this week's "small doses" are quite different. Everything is far from perfect, but we are so happy and so fortunate to work with what we love, and even though this was a horribly stressful week, we managed to take some pictures that we are proud of, but most importantly, we realized that it's nice to share. And not only the good things. So today we thought we would ask you to share a little with us as well, where or how do you find inspiration to make your photography or what you chose to do in life better? <3

No Comments

Leave a Reply